Bebendo o Aperol Spritz - e o italiano Amari - além do verão

Quando morei em Roma, há seis anos, passei a amar o sabor agridoce de um Aperol Spritz. A sensação na boca leve e efervescente, o tom neon, a fatia de laranja enfeitando a borda do vidro. . . Tem sido a minha vezAperitivodesde então. Então, quando várias publicações (incluindo esta) declararam o verão de 2017 o “verão da spritz”, fiquei surpreso. Na Itália, todo verão é o verão da spritz! Além disso, o spritz (derivado do hábito da era do Império Austríaco de adicionar um borrifo de água ao vinho) e oAmari(plural deamar) que vão para eles não precisam se restringir à absorção de verão. Inspirados pelos costumes italianos de consumo de bebidas, os principais bartenders dos EUA estão cada vez mais incorporandoAmariem seus coquetéis e - um tanto ironicamente - os bartenders italianos estão ampliando a forma como usamAmarià medida que encontram inspiração na mixologia americana.

Então, o que é umamar, exatamente? A palavra italianaamarliteralmente significa 'amargo', mas como categoria, é difícil de definir.Amarivariam em sabor, cor, origem geográfica, ingredientes, como são preparados e como são consumidos. ExistemAmaricom uma tonalidade vermelho-laranja brilhante, como Campari e Aperol - ingredientes essenciais em spritzes e Negronis. São castanhos profundosAmari, como Averna, Braulio, Cynar, Montenegro e Fernet-Branca. São delicadosAmari, como Amaro Nonino.

Aperitivo no Caff Propaganda

Aperitivono Caffè PropagandaPhoto: Cortesia de Dylan Jeni

Em minha viagem mais recente à Itália, viajei até a fonte para fazer uma turnêamardestilarias na Sicília e nos Alpes, teve uma master class com Tommaso Cecca - professor da Campari Academy e barman-chefe do Café Trussardi em Milão - e frequentou bares clássicos e modernos em uma busca para entenderAmarie seu apelo. Mesmo na Itália, ainda há uma boa quantidade de conhecimento e mistério em torno desses espíritos. Sua origem remonta à era medieval, quando os monges criavam elixires de ervas amargas como remédio. Embora não tenha sido provado clinicamente, algunsAmariainda acreditam que ajudam a digestão - daí a categoria dedigestivo(ou seja,Amarivocê deve beber depois do jantar, como Averna e Braulio). Na vila siciliana de Caltanissetta, os monges beneditinos do Mosteiro de Santo Spirito desenvolveram o Averna usando uma mistura patenteada de frutas cítricas, ervas, raízes e sementes nativas de todo o mundo. Eles presentearam a receita ao comerciante Salvatore Averna, que a comercializou. No entanto, até hoje, ninguém - nem mesmo o destilador mestre - conhece todos os cerca de 60 ingredientes que são infundidos no álcool de base neutra para criá-lo.

Como explica Tommaso Cecca, “Amario consumo faz parte do DNA dos italianos e geralmente são consumidos puros ou com gelo após uma refeição. ” Este é o caso dedigestivo, qualquer forma.Aperitivos(coquetéis saboreados antes de uma refeição, para despertar o apetite) incorporamAmaricomo Campari e Aperol, tradicionalmente usados ​​em clássicos como Aperol Spritz, Negroni, Americano e Milano Torino. Agora tudo isso está mudando.

Barman preparando refrigerantes e shakeratos no Camparino da Galleria Vittorio Emanuele II

Barman preparando Campari Sodas e Shakeratos no Camparino da Galleria Vittorio Emanuele II Foto: Cortesia da Campari America



“Em uma escala global, vimos um interesse crescente em bartending sofisticado, bem como a disposição dos consumidores em explorar novos coquetéis, e os padrões de consumo italianos também mudaram por causa dessa mudança. Agora, os italianos também gostamAmariem coquetéis, não apenas puro ou com gelo. ” No Café Trussardi, Cecca serve uma variedade de coquetéis com esses licores amargos, incluindo a popular Beer Americano - seu riff em um clássico Americano coberto com espuma IPA. No chique Caffè Propaganda em Roma, o renomado bartender Patrick Pistolesi sacode o Madame Bovary, que mistura Campari, café, hibisco e Frangelico. E Massimo D'Addezio - que ganhou suas listras no lendário Bar Stravinskij do Hotel de Russie - está misturando criações originais usando Campari e outrosAmariem Co.So. no bairro emergente de Pigneto, em Roma. Mas a maioria dos italianos ainda os bebe à moda antiga, já que são servidos em lugares clássicos como o Camparino, na histórica Galleria Vittorio Emanuele II de Milão, e o Bar Basso, onde o Negroni Sbagliato foi inventado.

Trick Dogs Picnic Snog

Trick Dog’s Picnic SnogPhoto: Cortesia de Sonya Yu

Em sua maioria, os bartenders americanos são os que incorporamAmariem uma grande variedade de coquetéis. Alex Day, sócio da renomada Death & Co. de Nova York, os usa em pequenas quantidades como um agente de tempero ou os substitui por ingredientes como chartreuse para criar um perfil de sabor mais matizado em coquetéis complexos. Ele os considera essenciais e sempre tem garrafas à mão em seus bares em Nova York e LA Morgan Schick, que administra vários bares de São Francisco, incluindo Trick Dog e o futuro Charmaine's at the Proper Hotel, e Jesse Vida, do premiado New York's BlackTail, notou um aumento da conscientização entre os consumidores. A lista atual de coquetéis de Schick apresenta um riff de daiquiri com Amaro Montenegro e uma criação de estilo antiquado com Fernet-Branca e Sfumato Rabarbaro, enquanto Vida está preparando uma mistura aromática com mezcal, Campari, xerez, xarope de cana de mirtilo e vários outros ingredientes obscuros .

Heather Perkins do DiAnoias Eatery em Pittsburgh

Heather Perkins do restaurante DiAnoia em Pittsburgh Foto: Sara K Norris / Cortesia de Hannah Schneider

Heather Perkins, a diretora do bar do DiAnoia’s Eatery em Pittsburgh, adora responder às perguntas dos hóspedes sobreAmari. “Com a velocidade com que nossa cultura funciona agora e com todas as informações na palma da mão, há muito mais pessoas que se sentem à vontade para fazer perguntas e se informar sobre todos os tipos de espíritos”, diz ela. “Além disso, todos desejam experimentar o produto único que ninguém mais conhece.” Dante, no Greenwich Village de Nova York, é líder na categoria, com um superlativo Garibaldi e uma lista de 12 variações de Negroni. E o novo bar de Danny Meyer, Vini e Fritti, homenageia o restaurante de RomaAperitivotradição, com uma lista concisa de bebidas que segue os clássicos, com algumas exceções notáveis, como o Cynar Spritz. Se você gosta do seuAmaricom gelo com casca de limão (da mesma forma que os sicilianos bebem Averna), misturada com um Negroni, ou como um Aperol Spritz leve e efervescente, estamos agora oficialmente na era de ouro da cultura italiana de bebidas.gênio do gim!