FOTOS Em que condição as últimas filhas de Lewis do Alasca têm?

As últimas filhas de Lewis do Alasca 1

Uma das perguntas mais persistentes sobre o reality show mais silencioso do Discovery envolve a condição dos olhos de The Last Alaskans Filhas de Lewis. Enquanto Ray e Cindy Lewis passaram seus anos de formação nos 48 anos (ambos são Michigan nativos), suas três filhas - Molly (23 anos), Emma (21) e Sarah (19) - todas cresceram no Refúgio Nacional de Vida Selvagem do Ártico.



Infelizmente, é por causa de sua criação única e da aparência incomum de seus olhos que alguns dos telespectadores menos diplomáticos do programa se perguntam se as filhas de Lewis são consanguíneas. A verdade é mais simples e mais óbvia: as filhas sofrem de uma doença genética chamada blefarofimose, ptose, síndrome epicanthus inversus (ou BPES ) Cada uma das palavras no nome da doença descreve um tipo diferente de crescimento anormal da abertura do olho. A blefarofimose é um estreitamento da abertura; ptose refere-se a - de acordo com a página de referência de genética da National Library of Medicine - 'pálpebras caídas'; e epicanthus inversus é 'uma dobra para cima da pele da pálpebra inferior próxima ao canto interno do olho'.

As últimas filhas de Lewis do Alasca 3
As filhas de The Last Alaskans Lewis com Ray e Cindy em uma foto promocional de 2016

Cindy Lewis nasceu com o gene para BPES e o transmitiu para cada uma de suas filhas. Além disso, existem dois tipos de BPES; Acredita-se que o tipo I também esteja relacionado a 'uma perda precoce da função ovariana'. Não se sabe se Cindy e suas filhas carregam BPES Tipo I ou Tipo II, mas é um tanto incomum que todos os três filhos de Ray e Cindy tenham a doença: de acordo com a literatura médica, há 50% de chance de os genes serem transmitidos de pai para filho.

amor de bambi e hip hop patrimônio líquido de atlanta

A própria Molly Lewis respondeu a alguns dos comentários mais impensados ​​e mesquinhos sobre sua família em um Último Alasca Perguntas e respostas alguns anos atrás. Dadas as circunstâncias, ela foi bastante contida:

Olá, aqui é Molly Lewis, do programa. Obrigado a todos vocês que postaram comentários positivos em nossa defesa! Eles são encorajadores e é bom saber que há pessoas por aí que saem do show como deveriam ser Mas para o resto de vocês do outro lado da discussão - vamos lá, vamos viver! Honestamente, sinto pena de você. Você não pode aproveitar o show pelo que ele é? É uma pena que tudo o que você parece estar tirando disso é o assunto dos nossos olhos. Se tivesse algo a ver com o tema do show, seria abordado. Todo mundo tem seus defeitos, os nossos são mais óbvios do que os outros. Lamento se parece estranho para alguns de vocês, mas isso é problema seu. A maioria de vocês tem olhos 'normais', então por que isso é tão importante para você? Você não tem nada melhor para fazer com suas vidas do que se preocupar com os outros? Nossa mãe nasceu com o gene (o único em sua família) e ele foi transmitido para nós três. É a maneira que Deus escolheu para nos fazer e nós aceitamos isso. Se você não estiver satisfeito com essa resposta, então esse é seu uso. Eu não sei mais o que dizer.

The Last Alaskans Sessão 3 vai ao ar nas noites de quarta-feira no Discovery.

(Créditos das fotos: As últimas filhas de Lewis do Alasca via Discovery no Facebook)